terça-feira, 27 de julho de 2010

e-proinfo

Graça e paz amados!
Sou a professora Raimunda Lima, natural de Xapuri- Acre, 32 anos. Resido em Acrelândia desde fevereiro de 1992. Minha primeira formação foi em Magistério (4anos), concluí em 1999, em 2000 iniciei minha carreira prestando serviço na escola da rede municipal, Escola Novo Horizonte. Ao longo desses anos não parei de estudar, em 2004 concluí o curso Formação em Docência na Faculdade FEST no MA, recentemente me formei em PEDAGOGIA pela UnB (Universidade de Brasília). Entre outros cursos, bem como, na área de informática.
Desde 2003 presto serviço na escola Estadual Professor Pedro de Castro Meireles, atualmente ministrando Ciências para o 7º e 8º ano. E estou aqui no E- PROINFO super entusiasmada por ter a plena certeza que o professor é um eterno aprendiz. A tecnologia avança cada vez mais, preciso ter pelo menos noções para continuar no mercado de trabalho que dia após dia exige cada vez mais do profissional.
Sucesso a todos nós.
Raimunda Lima
Quem sou eu como professor e aprendiz?
Enquanto professora aprendiz sou consciente do meu papel neste mundo globalizado. Por tanto, para continuar inserida no mesmo, sou persistente, curiosa, busco fazer um cronograma do meu tempo no intuito de conciliar profissão, família, igreja, trabalhos sociais, lazer, etc. Tenho facilidades para reconhecer minha pequenez diante ao mercado de trabalho, sou humilde o suficiente para pedir ajudas, bem como, contribuir com o pouco que sei.
Embora digam que a educação no Brasil não é mais a do tempo dos Jesuítas, pois a Instituição educacional avançou, até concordo em partes, uma vez que ainda encontramos profissionais da área extremamente fiel ao tradicional, isso me faz repensar minha prática pedagógica e acreditar ainda mais o quanto preciso inovar para de fato fazer jus as minhas formações e estou disposta a dar o meu melhor em prol de uma educação capaz de transformar a atual sociedade, começando pelo meu comprometimento nesse curso que sem dúvida trará muitos conhecimentos para executar no meu dia- a- dia.
Sei que não sou a única responsável por essa mudança, haja vista, que se faz necessário um comprometimento da família, em fim, da sociedade em geral, mas estou aberta para os novos conhecimentos, principalmente no que diz respeito ao uso da tecnologia na sala de aula, uma vez comprovado que os alunos tomam gosto pela mesma, tornando então um ambiente prazeroso e gerando aprendizagens.


Refletindo acerca da tecnologia na sociedade, na vida e na escola

Vivemos em uma sociedade da
aprendizagem, na qual aprender
constitui uma exigência social
crescente que conduz a um paradoxo:
cada vez se aprende mais e cada vez
se fracassa mais na tentativa de aprender. (Juan Ignacio Pozo)
O estudo desse tema é de fundamental importância para a reflexão do momento delicado que a educação brasileira vive (“A sociedade da aprendizagem e o desafio de converter informação em conhecimento”.). O que me deixa bastante entusiasmada é que meio ao fracasso sempre surgem saídas, como prova disso é o programa e-proinfo que vem aí a todo vapor no intuito de quebrar paradigmas arraigados ainda nas nossas escolas.
A tecnologia avança cada vez mais, mas, infelizmente a escola ainda encontra dificuldade para aderir os novos mecanismos em sala da aula, pela razão de boa parte dos professores não dominarem os mesmos, e além de não dominarem, ainda se opõe ao ingresso nos cursos como esse, que tem como finalidade capacitar para um melhor desempenho dos educandos, uma vez, que eles estão muito além da maioria dos educadores no que diz respeito ao conhecimento tecnológico. Mas claro, além de saber manusear os recursos é preciso também saber usar de maneira que seja produtivo, explorando os conteúdos trabalhados, não terá nenhum significado ao aluno, ver um filme por ver, ir ao laboratório de informática como maneira de diversão, em fim, faz-se necessário um planejamento onde os objetivos estejam nítidos, do que se espera ao término da pesquisa, na conclusão do vídeo, etc.
Concordo plenamente com o tema, “Tecnologias trazem o mundo para a escola.” Como é maravilho a oportunidade que se tem através dos recursos tecnológico essas viagens aos mais longícuos lugares nesse imenso planeta. Percebe-se o interesse de boa parte dos alunos quando estão diante a essas informações, o prazer pelas imagens, facilitando sua compreensão do que anteriormente o professor apenas lia, falava ou pedia para eles lerem, muitas das vezes, tornando uma aula enfadonha, sem a mínima participação.
“[...] É necessário repensar a escola e a educação no sentido mais amplo.
A escola deve ser menos lecionadora e mais organizadora de conhecimento, articuladora dos diversos espaços do conhecimento.”
(Dowbor, L., 2001)
Enquanto educadora que busco enriquecer meu fazer pedagógico preciso desenvolver projetos que sejam eficazes permitindo ao aluno uma interação, através de grupos, trabalhos de campo, como, produção de documentários em vídeos, criação de blogs, wiki, etc. Favorecendo um estudo fora das quatro paredes, mas que traga benefícios aos alunos, família e comunidade em geral, uma vez que conhecimento não se adquire somente na sala de aula. Estou convicta que mesmo em longo prazo se alcançará bons resultados com a implantação das TICs nas escolas e uso maciço pelos formadores de opiniões, exatamente nessa expectativa que ingressei no e-proinfo em busca de avançar nesse mundo globalizado, o mundo digital, mesmo sabendo que tecnologia não é apenas mecanismos digitais.

“...O problema, no entanto, não é a disponibilidade das tecnologias e sim a formação de professores para utilizar as TICs. Outro problema que também se evidencia em todos os países é a concepção de currículo. Precisamos superar a idéia do currículo prescrito como lista de tópicos de conteúdo. O currículo deve ser construído integrando o que emerge da própria relação cotidiana entre professores e alunos.” (Renata Chamarelli)



Educação e Tecnologia desafios do presente

Analisando o vídeo percebi a grande preocupação do autor com o futuro das escolas, ou seja, da educação de um modo geral, o que me permite fazer uma indagação; apesar de todo um investimento na educação nos últimos anos, até que ponto, está avançando? Uma vez que estamos no século XXI presenciando a tecnologia a todo vapor é lamentável ainda a imposição de muitos profissionais ao uso dos recursos tecnológicos na sala de aula, ou o uso constante de alguns, mas de forma desorganizada, o que evidentemente não surtirá nenhum efeito para a construção do saber.
“Tratar de tecnologias na escola engloba processos de gestão de tecnologias, recursos, informações e conhecimentos que abarcam relações dinâmicas e complexas entre parte e todo, elaboração e organização, produção e manutenção (ALMEIDA, 2005).”
O maior desafio hoje é se preparar para a desconstrução de tudo que um dia foi tido como eficaz, o único caminho que levava ao conhecimento, (cadeiras enfileiradas, decoreba, alunos em silêncio, quadro negro e giz, cartilha, lápis, caderno e borracha, brincadeiras só no recreio, etc.) Pra início de conversa professor não leva ninguém a lugar nenhum, como muitos ainda permanece usando nos seus objetivos, “levar o aluno ao gosto pela leitura, etc.” E sim, permitir ao aluno, construir com ele, contextualizar seus conteúdos, interagir, em fim, meu papel enquanto mediadora do conhecimento é educar para a escola do amanhã, para isso preciso saber explorar os recursos audiovisuais, educar para a autonomia, bem como, novas idéias, novas experiências, novas maneiras de ser, etc. Todo profissional da educação, assim como, a política educacional precisa ter em mente que as tecnologias multimídias, dentro de um projeto pedagógico inovador, facilitam o processo de ensino-aprendizagem.
Por tanto, investir na valorização e formação do professor é de fundamental importância para que o mesmo saiba utilizar as novas tecnologias, em benefício da melhoria do ensino, razões pelas quais me motivou ingressar no e-proinfo na expectativa de obter do mesmo o máximo de conhecimentos para executar no meu fazer pedagógico, no intuito de contribuir para uma sociedade melhor, a começar por mim, contribuindo para uma escola menos “lecionadora e mais produtora de conhecimentos.” Lembrando que para tudo isso acontecer só será possível se haver uma manutenção periódica nos recursos tecnológicos das escolas, infelizmente, nem tudo que tem nas escolas funcionam como deveriam, para de fato, comprovar com o que se colocam no P.D.E.
“Mudar a mentalidade de um povo, de uma nação, não se faz da noite para o dia, se faz com um trabalho de todos os dias.”

Acrelândia-Acre, 13 de Junho de 2010



Plano de aula
Escola: Novo Horizonte
Professores: Edilson Nogueira e Raimunda Nonato Barbosa de Lima
Série: 5º ano (4ª série) Turma: “A” Turno: Matutino
Disciplina: Ciências
Duração: 4 horas/aulas
Data: 13/11/2008

Conteúdo:
• O efeito estufa

Objetivos:
• Compreender quais são os principais causadores do efeito estufa;
• Saber quais medidas poderá ser adotado para a diminuição do aquecimento global;
• Identificar os principais gases poluentes e suas respectivas fontes.

Desenvolvimento:
• Aula expositiva e copiada;
• Roda de conversa (problemática) acerca do assunto em estudo;
• Atividades orais e escritas;
• Entregar um questionário com 6 questões para os alunos responderem através de uma entrevista com pessoas diversas na rua;
• Pesquisa em jornais e revistas a fim de aprofundar no assunto;
• Assistir o filme “O dia depois de amanhã”, onde o mesmo retrata as causas/conseqüências que o efeito estufa pode provocar.

Recursos didáticos:
• Quadro, pincel, material impresso, jornais, revistas, livro didático, DVD, recurso humano, etc.


Avaliação:
• Será avaliado o desempenho de cada aluno na resolução das atividades propostas, bem como, na exposição de suas idéias na sala.
Anexo
Obs.
O anexo a seguir é parte fundamental do plano que desenvolvi juntamente com meu colega Edilson em 2008 para obtenção de nota no curso de Pedagogia na UnB, executado plano através de uma pesquisa, que os alunos da escola supracitada realizaram na comunidade.
ATIVIDADE PRESENCIAL
PLANO DE AULA COM O ASSUNTO O EFEITO ESTUFA
1- Descreva três situações em que a energia solar seja imprescindível para a manutenção da vida.
1ª A energia solar é muito importante para que haja vida, pois todo ser vivo necessita dela para sobreviver;
2ª A energia solar é importante para as plantas, pois sem ela as mesmas não realizam a fotossíntese;
3ª Com o uso da energia solar aumenta a perspectiva de vida, porque ela não polui o meio ambiente.
2- Descreva três situações em que a energia solar seja imprescindível para a manutenção das pessoas em sua cidade.
1ª As pessoas utilizam a energia solar para secar as roupas no varal após serem lavadas;
2ª Usam a energia solar para gerar luz elétrica;
3ª Precisam da energia solar para realizar a colheita de alguns alimentos.
3- Como você diferencia um planeta de uma estrela?
Uma estrela possui luz própria, ela é um astro luminoso e, um planeta não possui luz própria, por tanto, é um astro iluminado.
4- O sol vai acabar ou ele existirá para sempre? Justifique.
Em nossa opinião o Sol acabará no dia em que tudo nesse planeta será exterminado. Segundo a Bíblia, a Terra não mais acabará com água como foi no “século” passado. E sim com fogo. De onde virá esse fogo a não ser do sol? Por isso acreditamos que tudo será exterminado, inclusive o Sol.


5- De onde vem a energia acumulada nos combustíveis fosseis?
Vem do interior da terra o petróleo e seus derivados e dos lixos orgânicos acumulados há vários anos.


6- Sobre o consumo de energia no Brasil escreva um texto e comente de que forma acontece e se da tal consumo.
O consumo de energia no Brasil subiu 6,4 % em agosto contra igual mês do ano passado, atingindo o maior nível do ano. De acordo com a EPE, o consumo atingiu 33.327 gigawatts hora no mês. As classes comerciais e residenciais foram o destaque no mês, registrando respectivamente expansões de 10,5 e 7%.
No Brasil, os estudos apontam uma redução anual 1,59% na intensidade energética, daí a importância da energia oriunda de fontes renováveis.

Resultado dessa experiência

Atividades como essa estimula o aluno o prazer pela leitura e escrita, uma vez que ele tem a oportunidade de sair das quatro paredes em busca de obter mais conhecimento, ao mesmo tempo em que trabalha a oralidade, ajuda romper com a timidez de muitos ao se dirigir às pessoas na rua, ou em seus respectivos locais de trabalho para entrevistá-los.
Dados de Identificação:
Escola: E.E. F. Professor Pedro de Castro Meireles
Professores: Trio - FJR - Francimar Rodrigues da Silva, Jozimar Rodrigues da Silva e Raimunda Nonata Barbosa de Lima
Público - alvo: 8º ano A do Ensino Fundamental - Turno: Matutino
Duração da aula: 2 horas/aulas



Plano de Aula Diário
Eixo Temático: Planejando uma atividade com hipertexto ou internet - Atividade 3
Tema Gerador: Trabalhando produção textual com hipertexto

Disciplina: Interdisciplinar (Ciências e Geografia).
Conteúdos:
 Produção textual coletivo com links
 Formando um hipertexto
Competências:
 Que os educandos no decorrer dessa aula desenvolvam habilidades em produção de texto coletivo, de forma colaborativa e aprendam a inserir links e criar um hipertexto.

Habilidades:
Conceituar racismo e preconceito;
Elaborar um texto coletivo;

Compreender a igualdade entre as pessoas;
Diferenciar hipertexto de hiperlink;
Transformar o texto coletivo em um hipertexto.
Situação Didática:
1º Momento:

- Iniciar a aula pedindo que os alunos falem o que sabem sobre racismo e preconceito.
- Ouvir suas opiniões a respeito de posturas racistas e definir coletivamente conceitos sobre racismo e preconceito.
- Em seguida construir com os alunos um texto coletivo a partir de suas idéias.

2º Momento

- Dividir os alunos em grupos para que pesquisem no dicionário definições de palavras selecionadas no texto coletivo e que também criem suas próprias definições.

3º Momento

- Ir com os alunos ao Laboratório de Informática (multimídia) onde os mesmos irão pesquisar no Google as definições de: hipertexto e hiperlink, bem como, aprender inserir links e transformar a produção num hipertexto.
- Em seguida, irei chamando a atenção deles para a importância da navegação em páginas específicas na internet.
4º Momento:
- Construir uma produção textual coletiva e logo após as correções, inserir links nas palavras que julgarem necessárias serem destacadas, como por exemplo, preconceito, racismo, desigualdade, respeito, igualdade, violência, discriminação etc.; O texto será apresentado no telão para que a turma toda visualize as modificações ocorridas no mesmo.



Material utilizado (Recursos):
 Quadro branco, pincel, papel a/4, lápis, caneta, borracha, minidicionário, computador, internet, data show, telão, câmera digital, impressora, imagens impressas com cenas expressando preconceito, recurso humano etc.


Avaliação:
 A avaliação acontecerá no decorrer do desenvolvimento da atividade, levando em consideração a participação e colaboração para a realização da produção coletiva.


Imagens





Fontes consultadas
http://www.scribd.com/doc/3184801/A-escrita-coletiva-de-hipertextos-com-links-multidirecionais-atraves-do-CoLink-Wiki-em-processos-educacionais
http://www.dhnet.org.br/w3/ceddhc/bdados/cartilha14.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário