domingo, 10 de outubro de 2010

O MEIO AMBIENTE - Plano de aula

PLANO DE AULA




O MEIO AMBIENTE



Escola: Pedro de Castro Meireles

Professora: Raimunda Nonata Barbosa de Lima

Disciplina: Geografia e Ciências

Série: 5ª C, D, G e H, 6ª C, D, E, F e G

Duração: 06 à 24 de setembro de 2010

3º bimestre

Obs. Plano feito exclusivamente para trabalhar o dia da Amazônia, o dia da árvore, em fim, desenvolver os conteúdos para a culminância do Projeto Água é vida.



CONTEÚDOS: PROJETO ÁGUA É VIDA E PROJETO ÁGUA, CUIDAR É PRECISO

*A importância da água;

*A distribuição da água na Terra;

*Fauna;

*Flora;

*Desenvolvimento Sustentável;

*Aquecimento Global;

*Efeito Estufa;

*Queimadas;

*Derrubadas;

*Água;

*Reciclagem.

Objetivos:

*Analisar as fontes hídricas do Município de Acrelândia;

*Questionar os desmatamento nas áreas de nascente;

*Conscientizar os moradores sobre a importância da água;

*Orientar os moradores sobre os cuidados para não desperdiçar;

*Estudar sobre a vida dos moradores que vivem em regiões desgastadas e comparar com as regiões ricas da biodiversidade;

*Possibilitar interações entre alunos para troca de idéias sobre os problemas que a população de Acrelândia vive referente à água;

HABILIDADES e COMPETENCIAS:

*Pesquisas na internet;

*Leitura de textos;

*Treinamento para uma campanha de preservação d, água; *Pesquisas de campo;

* Aulas expositivas;

*Assistir vídeos;

* Entregar uma carta de conscientização nas casas;



ATIVIDADES:

* Produção de vídeos, painéis, faixas, gibis, poesias, musicas e texto, reciclagens;

*Exposição dos materiais;

*Produção de textos;

*Confecção de painéis, cartazes;

*Pesquisas;

*Trabalhar letras de músicas;

*Apresentar músicas;

*Apresentações dos trabalhos;

*Registros fotográficos.



RECURSOS DIDÁTICOS:

* Quadro, pincel, câmera digital, computador, caderno, caneta, lápis, caixa amplificada, data show, CD, DVDs, isopor, cola, cartolina, madeira, tinta, papel emborrachado, plásticos, papelão, telão e TNT.



AVALIAÇÕES:

*Diagnósticas, somativas e formativas. (Serão pontuado os trabalhos, que variam de 2,0 a 3,0 pontos)



ANEXOS:
Obs. Textos estudados como suporte para a execussão das atividades.


Dia do Meio Ambiente e Ecologia


http://www.brasilescola.com/datacomemorativas/dia-mundial-do-meio-ambiente-ecologia.htm

No dia 05 de junho comemora-se o dia do meio ambiente.

A criação da data foi em 1972, em virtude de um encontro promovido pela ONU (Organização das Nações Unidas), a fim de tratar assuntos ambientais, que englobam o planeta, mais conhecido como conferência das Nações Unidas.

A conferência reuniu 113 países, além de 250 organizações não governamentais, onde a pauta principal abordava a degradação que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, onde a diversidade biológica deveria ser preservada acima de qualquer possibilidade.

Nessa reunião, criaram-se vários documentos relacionados às questões ambientais, bem como um plano para traçar as ações da humanidade e dos governantes diante do problema.

A importância da data é devido às discussões que se abrem sobre a poluição do ar, do solo e da água; desmatamento; diminuição da biodiversidade e da água potável ao consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros.

A partir de 1974, o Brasil iniciou um trabalho de preservação ambiental, através da secretaria especial do meio ambiente, para levar à população informações acerca das responsabilidades de cada um diante da natureza.

Mas em face da vida moderna, os prejuízos ainda estão maiores. Uma enorme quantidade de lixos é descartada todos os dias, como sacos, copos e garrafas de plástico, latas de alumínio, vidros em geral, papéis e papelões, causando a destruição da natureza e a morte de várias espécies animais.

A política de reaproveitamento do lixo ainda é muito fraca, em várias localidades ainda não há coleta seletiva; o que aumenta a poluição, pois vários tipos de lixos tóxicos, como pilhas e baterias são descartados de qualquer forma, levando a absorção dos mesmos pelo solo e a contaminação dos lençóis subterrâneos de água.

É importante que a população seja conscientizada dos males causados pela poluição do meio ambiente, assim como de políticas que revertam tal situação.

E cada um pode cumprir com o seu papel de cidadão, não jogando lixo nas ruas, usando menos produtos descartáveis e evitando sair de carro todos os dias. Se cada um fizer a sua parte o mundo será transformado e as gerações futuras viverão sem riscos.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola



Maurício da Silva

VIOLÊNCIA AOS CICLOS NATURAIS DO PLANETA.


Vivemos um momento de intensa violência à natureza, de grande depredação ao planeta, mas também de muita preocupação com a vida do planeta e a preservação do meio ambiente. Há destruição da Amazônia, do Pantanal, poluição dos elementos terra, ar e água e o desaparecimento de enorme variedade de espécies animais e vegetais da face do planeta. Como dizia o filósofo Francis Bacon: "É sabido que para dominar natureza é preciso ser obediente a ela". Como o homem tem desobedecido as leis desta, violando os ciclos naturais, violentando a ecologia do holismo cósmico da Terra, a reação à ação devastadora tem vindo à altura desta: gases, fumaças, resíduos tóxicos resultantes do uso do petróleo, que contaminam o meio ambiente; excesso de calor resultante do uso da energia nas casas, veículos, indústrias, etc, elevam a temperatura do ambiente, bolha de calor , como dizem os cientistas, formada pelo resíduo energético. Conseqüentemente, altera-se o clima nas cidades, a qualidade do ar, da água, do solo e da vida, etc.


O ambiente urbano, que modernamente tem se constituído em palco da violência generalizada, é um grande concentrador de energia de entropia, de materiais poluentes, de resíduos indesejáveis, que expulsam animais e vegetais para fora dali, para posteriormente propiciar a proliferação de ratos, insetos e todo tipo de animais nocivos ao homem.


Apesar da preocupação ecológica de algumas poucas pessoas de consciência preservacionista, há uma destruição progressiva dos manguezais, das florestas, dos cerrados, dos campos, por meio de queimadas, causando desequilíbrios ecológicos imensuráveis.


Ecossistemas se constituem em ambientes naturais que se caracterizam pela auto-suficiência, produzindo tudo aquilo que necessita para si. Não há necessidade de se introduzir nada de fora num ecossistema completo. Porém, o homem interfere neste equilíbrio em nome do pseudoprogresso, provocando poluição, envenenando a natureza.


Um bom exemplo do caos ecológico se verifica nas cidades: excesso de ruídos que causam stress , tira a tranqüilidade das pessoas; há os desperdícios de energia que causam o aumento de calor nas casas; há os animais transmissores de doenças, como rato, inseto, etc; há transmissão de doenças pelos esgotos, pela água, etc; há a erosão causada pela ausência de vegetação; há o problema da grande concentração de radiações ou ondas eletromagnéticas, que causam grandes danos à saúde e são imperceptíveis. Há grandes quantidades de ruídos que obrigam o uso de protetores para evitar surdez; há os cheiros desagradáveis, os efeitos tóxicos e irritações, gás carbônico em excesso, provocando o efeito estufa; há fuligens e poeiras , fumaças de chaminés que incomodam as pessoas; há os rios que costumam transbordar freqüentemente em revide aos maus tratos.


Das agressões que o homem impõe à natureza, resultam a ampliação da ocorrência de terremotos, inundações, secas e todo tipo de catástrofes. As conseqüências nefastas da intervenção humana descomedida na natureza, alterando o equilíbrio ecológico do planeta, se constituem em efeito da violência do homem. Há que se esforçar para educar o ente humano a desenvolver uma consciência ecológica, respeitar as leis básicas da natureza. É uma questão fundamental.

A natureza é capaz de reciclar os recursos essenciais à vida no planeta, ao repetir os processos do ciclo vital: nascimento, crescimento, envelhecimentos, morte, decomposição, novo nascimento, nova existência com a mesma vida e assim por diante. Os seres humanos, por absoluta falta de consciência, violam as leis da natureza, colocando em xeque o percurso natural da reciclagem, deixando em risco este delicado equilíbrio que comanda a reciclagem, levando à extinção muitas espécies de animais e vegetais.


É preciso educar o estudantado para o conhecimento dos mecanismos do processo de reciclagem da natureza, para evitar que estes ciclos continuem sendo afetados drasticamente pelas atividades humanas. Se assim agirmos, estaremos contribuindo para descobrir as causas que provocam efeitos danosos sobre os ciclos da natureza através da interferência humana, que leva perigo aos animais e vegetais.


Os seres humanos são responsáveis pelo caos na ecologia do planeta, por colocá-lo em agonia por meio da violência generalizada. Os seres humanos se distinguem dos outros seres pela capacidade de agir sobre a natureza, nicho ecológico de todas as formas de vida, para construir sua própria forma de existência. Ele é capaz de agir sobre o meio natural para criar o seu próprio meio. Assim, além de adaptar-se ao meio natural, o ser humano adapta o meio natural às suas necessidades.


A ação de transformar o planeta está diretamente relacionada com o desenvolvimento das funções e habilidades que caracterizam a condição humana. Daí, conclui-se que o ser humano é responsável pelo impacto que causou à natureza e pelas conseqüências disto para a sociedade humana.


O ente humano atual, segundo a Psicologia Revolucionária do Mestre Samael Aun Weor, possui apenas 3% de consciência, o que é muito pouco para efeito de construção de paz e para sua autopreservação no Planeta. Por isso é preciso educar o ente humano para expandir seu coeficiente de consciência além dos 3%, elevando conseqüentemente seu grau de consciência ecológica e sua compreensão ambiental, ética, social, etc; conscientizando o corpo de alunos de todas as escolas de que a luta pela proteção da natureza se associa a luta pela realização da condição humana.


As escolas devem colocar para os estudantes uma educação revolucionária, induzindo-lhes ações concretas que possibilitem aos estudantes, a aquisição de conhecimentos e valores éticos e de atitudes que sustentem o exercício da cidadania solidaria.


Maurício da Silva é Professor, Coordenador do Projeto Vivavida com Paz e Autor dos Livros:

"Violência nas Escolas, Caos na Sociedade" e "Violência, o Desafio da Paz" - Disponíveis na EVIRT.



Um comentário:

  1. EU AMO A NATUREZA!!! POR ISSO QUE DIGO QUE O HOMEM É O MAIO INIMIGO DA NATUREZA. NOSSA FLORESTA AMAZONICA ESTÁ SENDO DESTRUIDA PELA A MÃO DOS HUMANOS. ATÉ AS PLANTAS QUE TEM O PODER DA CURA ESTÁ SUMINDO PELO O PO DER DO HOME.

    ResponderExcluir